Poetas – Compositores – Músicos – Fadistas

“E é isto que é preciso meus senhores, p’ró fadinho ser cantado com todos os matadores”

Agradeço a colaboração

de

Fernando Batista - Porto * Manuel Carvalho - Porto * Maria de Lurdes Brás * Ilídio Dias * Vilma Joaquim Perez - Santos - Brasil


Seguidores

sábado, 7 de junho de 2008

Mané - Portugal - França

Nascida em Lisboa, Mané passa uma parte da sua infância e adolescência em Moçambique onde estuda piano.
Esta mestissagem de culturas não podia senão ajudar e deixar antever o desenvolvimento artístico da sua carreira.
De volta a Portugal, termina os seus estudos musicais.
Alguns anos mais tarde é no Porto que a carreira artística de Mané é apoiada pela fadista América Rosa e depois por Maria Da Fé que lhe oferece a oportunidade de se apresentar e cantar em Lisboa nas melhores Casas de Fado.
É numa dessas Casas que veio o dia de uma primeira gravação ao vivo de dois Fados, um dos quais inédito.
Primeiramente editados em vinyl, estes dois títulos estão actualmente, disponíveis em CD em três compilações - "Great Voices of Fado" - "As Melhores Vozes do Fado" - "Queens of Fado" distribuição DOM e "Thalassa Portugal" distribuição SONY.
Mané assina os seus primeiros contratos em 1975.
Ela parte em « tournée » em 1976, dois anos pelo Canadá, dos quais um em Toronto e o outro em Montréal.
Em 1982 ela participa numa tournée também de dois anos pela Alemanha com um grupo de folclore e de música tradicional portuguesa.
Em 1986 ela volta ao Canadá antes de partir, durante nove meses para New-York onde é convidada a gravar uma emissão de televisão que lhe é inteiramente dedicada.
Entre duas viagens, Mané volta a Portugal para dar alguns concertos.
Instalada em Paris, ela comunga da sua paixão e da sua arte com alguns amadores das tradições portuguesas por diversos lugares e salas.
Acompanhada de formações que podem ir de 2 a 5 músicos – 2 guitarras portuguesas, 1 guitarra clássica, 1 contrabaixo e 1 acordeão – ela é a prova de que o Fado resta uma música viva e apreciada.
Com o seu timbre de voz forjado na intensidade duma vida rica em dores e paixões que lhe permitiram de se apoderar e de interpretar, de maneira muito pesoal, os cantos populares, Mané recria e relança, restituindo-lhe toda a sua autenticidade, o Fado Tradicional.