Poetas – Compositores – Músicos – Fadistas

“E é isto que é preciso meus senhores, p’ró fadinho ser cantado com todos os matadores”

Agradeço a colaboração

de

Fernando Batista - Porto * Manuel Carvalho - Porto * Maria de Lurdes Brás * Ilídio Dias * Vilma Joaquim Perez - Santos - Brasil


Seguidores

terça-feira, 4 de março de 2008

Custódio Castelo

Nasceu em Almeirim a 23 de Dezembro de 1966.
Aos sete anos construiu o seu primeiro instrumento musical de onde surgiram os primeiros sons, e aos treze anos é-lhe oferecido o primeiro instrumento "a sério", uma guitarra acústica. Integrou alguns grupos de música popular portuguesa e bandas rock.
Aos dezasseis anos descobre a sonoridade da guitarra portuguesa através dos discos de Amália Rodrigues, e desde logo assume este como o seu instrumento de eleição. Desde muito cedo que Castelo foi considerado um prodígio pela audaciosa forma de abordar a guitarra portuguesa e o seu talento reconhecido pelos mais exigentes fadistas dessa época, sendo convidado para acompanhar muitos dos grandes nomes do fado tradicional como : D. Vicente da Cãmara, Manuel de Almeida, Fernando Farinha, Cidália Moreira entre outros.
Aos dezoito anos surge a sua primeira composição, e aos vinte é convidado por Jorge Fernando a gravar um albúm, estreando-se em estúdio e este foi o ínicio de uma parceria musical que se manteve até à actualidade (Custódio Castelo gravou com Jorge Fernando todos os seus discos de fado, e gravaram e produziram em conjunto inúmeros trabalhos de outros artistas como foi o caso de Mariza, Maria da Fé, Gonçalo Salgueiro, Fernando Maurício, Argentina Santos, Raquel Tavares, Antologia do mais Triste Fado...
Concerto com Jorge Fernando
Acompanhou durante quatro anos Nuno da Cãmara Pereira, e gravou o trabalho " Só à Noitinha" com a Orquestra Sinfónica da Lituânia.
Surgiu o convite para gravar o primeiro disco de Mísia "Garras dos Sentidos", tornando-se o seu principal acompanhador durante dois anos.
Segue-se o convite para gravar com Camané " Na linha da Vida" e nesta sequência uma tournée com Camané e Carlos do Carmo.
Concerto de Carlos do Carmo
Acompanha Amália Rodrigues na sua última viagem aos EUA, e apresenta o seu projecto a solo a convite de Pedro Caldeira Cabral na Expo 98, em sequência do qual foi convidado especial de Maria Bethânia em vários concertos.
Também em 1998 torna-se mentor do projecto Cristina Branco onde toda a sua genialidade foi exposta mundialmente enquanto compositor, produtor, arranjador e executante de guitarra portuguesa.
"Entre o clássico e o moderno. Entre a tradição e a inovação. Bela e perfeita,é como se posiciona a música de Cristina Branco, nela sobressaindo principalmente a guitarra desse mestre que dá pelo nome de Custódio Castelo, igualmente o principal compositor dos temas originais interpretados pela cantora. Fulgurante."
Custódio Castelo( Guitarra Portuguesa), Cristina Branco (Voz) e Ricardo Dias ( Piano)
Deste projecto resultaram sete trabalhos discográficos e inúmeras tournées pelos quatro cantos do mundo. A discografia deste projecto tem como primeiro registo "Live in Holland" (1997), ao que se seguiu Murmúrios (1998) que foi distinguido com o prémio "Choc de L´Année du Monde de la Musique", na categoria de World Music , no ano seguinte Post Scriptum é distinguido com o mesmo prémio e em 2000 surge " O Descobridor " o seu mais importante e arrojado trabalho enquanto compositor.
" O Descobridor " é um disco temático dedicado na integra à obra do poeta holandês Jan Jacob Slauerhoff, e todas as composições são de autoria de Custódio Castelo, sendo destacado com o primeiro lugar do top de compositores desse ano. Este trabalho conquistou a platina na Holanda e os temas foram posteriormente orquestrados por Bob Zimerman.
As composições em guitarra portuguesa de Castelo são das mais criativas que já foram feitas, com aproximações à música erudita."
Em 2001 surge no mercado " Corpo Iluminado " disco de ouro na Holanda e Bélgica, e seguem-se " Sensus " (2003) e "Ulisses" (2005).
Convidado para acompanhar Mafalda Arnaulth no concerto "The Royal Hope Charity Gala", com Sarah Brigtman, The Royal Ballet, Plácido Domingo e Joaquim Cortez.
A versatilidade de Castelo nunca lhe permitiu ser unicamente um acompanhador de fado, até porque nunca esteve acorrentado aos cânones do fado, sofreu diversas influências durante a adolescência, e transportou para a guitarra portuguesa esse seu gosto pessoal por outros géneros musicais como o Tango ( Piazolla ), Jazz ( Django Reinhard, Chat Atkins ), o que de certa forma contribuiu para que se tornasse um dos principais responsáveis pela renovação do Fado.
No projecto " Cristina Branco " conquistou o reconhecimento mundial pela sua inovadora e arrojada forma de conceber musica, pela maneira de certa forma irreverente como aborda os temas, como recria novos ambientes para os fados ditos tradicionais e pela fusão da guitarra portuguesa com outras sonoridades, tendo já partilhado o palco com inúmeros músicos e cantores de outras áreas : Richard Galliano ( Acordeão ), Arrigo Cappelletti ( Piano ), André Dequech ( Piano ), Daniele di Bonaventura ( Bandonéon ), Davide Zacaria ( Cello ), Ben Wolf ( Contrabaixo ), Leonardo Amuedo ( Guitarra Clássica ), Olga Pratz ( Piano ), Cármen Linares, Ana Salazar.....
Enquanto solista, Castelo tem transportado a sua sonoridade aos mais importantes festivais de música do mundo:
Festival de Belo Horizonte ( Brazil ), World Music Festival of Philadelpia ( USA ), International Festival de Rabat ( Marrocos ), North Sea Jazz Festival ( Haia ), Festival du Sud ( França )....
Em 2004 surge um problema de saúde, um ruptura de ligamentos do ombro direito, e uma inesperada cirurgia. Clinicamente devido à gravidade desta lesão previu-se um findar prematuro de uma brilhante carreira enquanto instrumentista. Nesta fase extremamente díficil para alguém que faz da música a sua vida, Castelo reuniu alguns dos músicos e amigos que sempre o acompanharam ( Jorge Fernando, Alexandre Silva, Fernando Maia, Marino de Freitas, Miguel Carvalhinho, Carlos Manuel Proença, Carlos Velez, Carlos Garcia, Filipe Larsen) e entrou em estúdio com a finalidade de registar o seu trabalho de muitos anos. Com grande dificuldade de execução, num clima de tensão e em forma de despedida da sua guitarra.
Assim nasceu "Tempus" um disco maravilhoso de instrumentais, cheio de sentimento e de qualidade irrepreensível.
Não quis o destino que Custódio Castelo se afastasse daquele que é o grande amor da sua vida : a "Guitarra Portuguesa", e, depois de um afastamento de alguns meses, e de uma difícil e notável recuperação volta ao palco no ínicio de 2005 para gravar os mais recentes trabalhos de Jorge Fernando, Gonçalo Salgueiro, Raquel Tavares, João Chora...